Lula defende cooperação econômica do Brasil com Palestina


Presidente discursou no Encontro empresarial Brasil-Palestina, em Belém.
Antes, ele teve um encontro com o presidente da ANP, Mahmoud Abbas.

Diante de empresários palestinos e brasileiros em Belém, na Cisjordânia, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a cooperação econômica do Brasil com a Palestina e um acordo de associação com o Mercosul.

O presidente disse ainda que o Brasil está comprometido com o fim do embargo e que a "asfixia imposta à Cisjordânia e a Gaza impede que a Palestina se beneficie dos fluxos de comércio internacional".

"Estamos prontos a apoiar as iniciativas do plano Fayad (plano do primeiro-ministro palestino, Salam Fayad para assistência à população e obras de reconstrução) para identificar produtos com potencial exportador. Estamos criando um amplo arco de solidariedade para captar investimentos e identificar uma vocação econômica para a Palestina. Dos setores prioritários, desde infra-estrutura e agroindústria, passando pela tecnologia da informação, empresas brasileiras com grande experiência no ramo estão motivadas para participar", disse. 

Lula afirmou que haverá uma conferência econômica em São Paulo, no mês de julho, para estimular investimentos na Palestina. O evento, segundo o presidente, é patrocinado conjuntamente pelo Brasil, pela Espanha e pela Autoridade Nacional Palestina (ANP). "Nosso desafio está em atrair para a Palestina tecnologia e capitais brasileiros que ampliem a escala e a capacidade técnica do setor exportador."

O presidente acrescentou ainda que a "conclusão de um acordo de associação entre Mercosul e Palestina" contribuiria para tornar o mercado latino uma "nova fronteira" para os produtos palestinos.

Lula citou 201 projetos prioritários com investimentos de US$ 5,5 bilhões de dólares. "Muitas vezes, achamos que US$ 5 bilhões de dólares significa muito dinheiro. Imaginem o que se gasta no mundo hoje para cuidar da defesa dos países, significa algumas dezenas de vezes o dinheiro que temos que utilizar para recuperar o Haiti, para criar o Estado Palestino e ajudar outros países pobres a terem participação no desenvolvimento global", disse. 

Mais cedo, Lula se reuniu com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmou Abbas.
Compartilhe no Google Plus

Publicidade