Maestro Paulo Torres rege Orquestra Sinfônica neste domingo no Guairão

Foto:SEEC
Depois de um período de apresentações pelo interior do Estado, a Orquestra Sinfônica do Paraná retorna ao palco do Guairão com um concerto neste domingo (18), às 10h30, sob a regência do maestro Paulo Torres. No programa a Abertura de “La Scala di Seta”, de Gioacchino Rossini, “Sinfonia n° 25 em sol menor KV 183”, de Wolfgang Amadeus Mozart, e encerra com a Abertura de “Fidélio”, de Ludwig Van Beethoven. 

A obra “La Scala di Seta” (A Escada de Seda) é a sétima composição de Rossini e foi apresentada ao público pela primeira vez em 09 de maio de 1812, quando o músico tinha pouco mais de 20 anos de idade. É uma farsa que conta a história do pedido de casamento que Dormont fez para sua pupila Giulia. Mas havia um grande problema: ela já tinha se casado secretamente com Dorville, a quem obrigava a subir todas as noites ao seu quarto por uma escada de seda.

O compositor italiano Gioachino Rossini nasceu em 1792 e faleceu em 1868. Deixou 30 óperas, na maioria cômicas. Entre os seus trabalhos destacam-se “O Barbeiro”, “L’Italiana in Algeri”, “Il Turco in Itália”, “La Gazza ladra” e “La Cenenterola”. Escreveu algumas óperas sérias, como “Tancredi”, “Semiramide”, “Otelo”, “Mosè in Egito”, “Elisabeth Rainha da Inglaterra” e “Guilherme Tell”. 

A segunda obra do concerto é a “Sinfonia n° 25 em sol menor KV 183”, de Wolfgang Amadeus Mozart, escrita em 1773 é uma das composições mais populares em todo repertório da música clássica europeia. A música serviu de base para a Mozart compor a sua sinfonia em sol menor KV 550 de 1788. 

Mozart nasceu na Áustria, em 1756 e faleceu em 1791. Desde criança mostrou sua aptidão pela música, aos cinco anos já havia composto uma série de minuetos. Desde sua infância seu pai o levava para tocar por toda a Europa, como menino prodígio. Com apenas 12 anos de idade escreveu sua primeira ópera “Bastien und Bastienne” (1768), durante sua segunda viagem a Viena. 

Mozart foi mestre em quase todos os gêneros. É autor de mais de 600 obras autênticas. Entre suas obras autor de 50 sinfonias, 40 concertos – entre os quais 25 são para piano – entre outros instrumentos como trompa, violino e clarinete, 65 serenatas, divertimentos e marchas, 23 quartetos de cordas, música de câmara com diversas combinações, 203 danças, 18 missas e obras sacras, 56 grandes árias de concerto para diversas vozes, 18 óperas entre muitas outras obras.

A abertura da ópera “Fidélio”, de Beethoven encerra o concerto deste domingo. Esta é a última das quatro versões de abertura, para a única ópera de Beethoven, que foi escrita em novembro de 1805 em Viena. A primeira abertura de Fidélio, data de 1814. Nas representações modernas costuma-se colocar essa abertura como introdução ao primeiro ato, e também executada em concertos isolados. 

Aos 26 anos Beethoven começou a perder a audição e morreu aos 56. É considerado um dos pilares da música ocidental, pelo desenvolvimento da linguagem e do conteúdo musical demonstrado nas suas obras, permanecendo como um dos compositores mais respeitados e influentes de todos os tempos.

Serviço

Concerto da Orquestra Sinfônica do Paraná.

Dia 18 - domingo

Horário: 10h30

Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto (Guairão)

Os ingressos custam R$ 30,00 (plateia), R$ 20,00 (1º e 2º balcões). Compra antecipada: R$ 20,00 (plateia) e R$ 10,00 (1º e 2º balcões). Desconto de 50 % com o Cartão Teatro Guaíra.
Compartilhe no Google Plus

Publicidade