Bebê de William e Kate deve ser o terceiro na linha de sucessão real



O futuro bebê do príncipe William e de sua mulher, Kate Middleton, deve ser o terceiro na linha de sucessão da família real britânica, mesmo que seja uma menina, informam historiadores e políticos do país.

Em outras palavras, ele ou ela herdaria o trono após os príncipes Charles e William, respectivamente filho e neto da rainha Elizabeth 2ª.

Segundo uma centenária lei de sucessão real, o herdeiro do trono é o primeiro filho homem do monarca; mulheres só assumiriam se não houvesse herdeiros homens.


Mas a lei está prestes a ser extinta pelos 16 países do Commonwealth (entre eles Canadá, Austrália e Nova Zelândia), que têm a rainha britânica como sua chefe de Estado.
A mudança depende de alterações constitucionais desses países, mas a imprensa britânica afirma que isso já deve estar resolvido até que o herdeiro de Kate e William, seja ele homem ou mulher, assuma o trono.

Políticos acrescentam que um acordo formalizado em outubro de 2011, quando todos os países do Commonwealth concordaram com a alteração, já bastaria para garantir o direito de uma herdeira do sexo feminino.

O acordo determina que filhas e filhos de monarcas têm direitos iguais na sucessão real.
Tal proposta foi reforçada por um discurso da rainha Elizabeth 2ª em maio deste ano, quando a monarca afirmou que as mudanças na sucessão são "adequadas para o século 21".

Enjoo matinal
A gravidez da duquesa de Cambridge foi anunciada nesta segunda-feira, por assessores.
Um porta-voz disse que Kate foi internada no hospital King Edward VII, em Londres, com enjoo matinal intenso e deve ficar hospitalizada por diversos dias. De acordo com o especialista da BBC em família real, Peter Hunt, ela estaria grávida de menos de 3 meses.

Representantes dizem que a família real está "extremamente feliz" com a notícia.
Kate e William, ambos de 30 anos, casaram-se em abril de 2011, na Abadia de Westminster, em uma cerimônia transmitida em todo o mundo.

O bebê real pode um dia se tornar o(a) chefe das Forças Armadas, o(a) chefe da Igreja da Inglaterra e o(a) chefe de Estado dos 16 países do Commonwealth. Peter Hunt informa que, assim que o bebê nascer, ganhará prioridade sobre o príncipe Harry, que atualmente ocupa o papel de terceiro na sucessão real.

Internação
Kate apareceu em público pela última vez na sexta-feira passada, quando visitou a escola St Andrew, em Berkshire, onde estudou na infância. De acordo com o porta-voz, Kate foi internada por estar sofrendo de uma complicação na gravidez conhecida como hiperêmese gravídica. Quando se encontra em tal estágio, segundo médicos, a mulher sofre com muita náusea e vômito constante. Assim, uma internação é por vezes necessária para que ela receba hidratação e nutrientes suplementares, acrescentam.
 
É bastante improvável que a hiperêmese cause riscos ao bebê. No entanto, como ela provoca perda de peso, pode ser que o bebê nasça abaixo do peso ideal. Esse tipo de complicação é relativamente raro, afetando em média uma em cada 200 grávidas. Um porta-voz disse o casal soube da gravidez "recentemente". Acredita-se que o fato de Kate ter sido internada apressou o anúncio oficial da gravidez.
 
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, disse em seu Twitter estar "muito feliz com a notícia". "Eles serão pais incríveis.", afirmou Cameron.
Líderes internacionais, como Barack Obama, dos Estados Unidos, também parabenizaram o casal.
Compartilhe no Google Plus

Publicidade