Turismo: ministério quer expandir malha aérea e rede hoteleira do Nordeste


A expansão da malha aérea regional e a melhoria de aeroportos e da rede hoteleira são os objetivos do Ministério do Turismo para a Região Nordeste do país. Com projetos na área de infraestrutura, o país pretende atender com excelência turistas que virão para os jogos da Copa do Mundo de 2014 e para as Olimpíadas de 2016.
Ao comentar o assunto, em entrevista concedida hoje (19), no programa Bom Dia, Ministro, o ministro do Turismo, Luiz Barretto, afirmou que o Ministério da Defesa tem projeto específico para a aviação regional e tem discutido o assunto com os nove governadores dos estados nordestinos, que têm demonstrado sensibilidade com a questão.
Entre as propostas em discussão, de acordo com Barreto, está a redução no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para a aviação regional. "Isso vai gerar facilidades para que a gente tenha de fato uma aviação regional capaz de movimentar os principais centros. O Ceará tem feito a lição de casa, com a ampliação dos aeroportos regionais."
A entrada no mercado consumidor de 20 milhões de pessoas, ocorrida nos últimos anos, segundo ele, impulsionou o turismo no país, por isso o ministério trabalha para criar uma “cultura de viagem”. A competição entre as companhias aéreas resulta em baixa nos preços de passagens e se torna um “gargalo a menos a ser enfrentado".
Barretto cita, em relação ao Piauí, como rota do turismo náutico internacional, a inauguração de um aeroporto em Parnaíba (região litorânea do estado) e outro em São Raimundo Nonato. A ampliação do porto e a construção de uma marina em Luis Correia (PI) são outras prioridades do estado, segundo ele.
O ministro ressaltou a necessidade de se trabalhar para atrair a atenção dos cerca de 1 milhão de turistas argentinos que visitam o Brasil anualmente. "Esperamos que eles passem a visitar também a Região Nordeste, onde poderão encontrar diversidades que não existem no Sul, atualmente a rota preferida".
Luiz Barreto afirmou que, graças a trabalho conjunto da Polícia Federal com a Secretaria Especial de Direitos Humanos e embaixadas, tem se conseguido combater o turismo sexual, "que é uma preocupação constante". Ele lembra que "não é bom para nenhum hotel receber esse tipo de turista”.
Lourenço Canuto
Repórter da Agência Brasil 
www.agenciabrasil.gov.br
Compartilhe no Google Plus