Ao lado de Serra, Aécio diz que Minas é sua pátria e ouve gritos de 'presidente'


O governador de Minhas Gerais, Aécio Neves (PSDB), voltou a indicar nesta quinta-feira (4) sua opção por uma participação regional nas eleições deste ano, apesar do desejo de muitas lideranças oposicionistas para que seja candidato a vice-presidente. 

"Minas é minha causa, minha casa, meu chão. Minas é minha pátria", disse durante inauguração da nova sede administrativa do governo mineiro. Em resposta, o público gritou "Aécio presidente". 

Em dezembro, o governador abriu mão publicamente de suas pretensões de ser o candidato do PSDB à Presidência nas eleições deste ano. 


Desde então, é grande a pressão para que ele venha compor como vice na chapa do partido. O provável candidato, o governador José Serra (SP), ainda não tornou pública sua pré-candidatura. Isso ajuda a alimentar especulações de que ele pode não disputar a Presidência, o que abriria o caminho para Aécio voltar ao páreo. 
O governador mineiro - que já falou sobre sua intenção de tentar uma cadeira no Senado, além de trabalhar para fazer seu sucessor em Minas - elogiou o colega paulista no discurso.  "Serra é um grande companheiro destas e também de outras lutas, um amigo." Sem cogitação

Aécio  afirmou ainda que não cogita recolocar seu nome para a disputa presidencial no caso de Serra não vir a ser o candidato do PSDB.  "Isso não se cogita", respondeu Aécio ao ser perguntado se voltaria ao páreo no caso de desistência de Serra. "Esta questão não tem sido cogitada e eu sequer a cogito", afirmou. 

"Quando deixo a disputa presidencial não faço isso para que isso volte lá na frente", afirmou Aécio a jornalistas após a inauguração. Aécio também voltou a descartar a disputa como candidato a vice, mas deixou uma porta aberta. 

Durante seu discurso no evento, o público gritou, por várias vezes, "Aécio presidente". Perguntado sobre a pressão que sofria tanto popular como em seu partido para disputar a Presidência ou ser vice, respondeu falando sobre suas convicções, mas admitiu que poderia revê-las. 

"O homem público que não resiste às pressões não merece fazer política. Sou um homem de convicções. Tenho as minhas e enquanto elas não se alterarem, eu sigo meu rumo. Se alguém, em determinado momento, me convencer do contrário, eu tenho que avaliar." 

Para Aécio, sua opção natural é disputar uma cadeira no Senado. Ele aproveitou para demonstrar confiança na vitória de Serra, que ainda não assumiu publicamente sua pré-candidatura. 

"Acredito que o governador Serra, no momento em que oficializar a sua candidatura, tem todas as condições de empreender um debate propositivo ao país e, com a sua história e trajetória, chegar à vitória", disse.

Compartilhe no Google Plus