Série de Miguel Falabella vai mostrar relação entre celebridades e imprensa

'A Vida Alheia' se passará em redação de revista de fofocas.
'Será um programa de aventura, não de humor', comenta o autor.
Henrique Porto

O autor, Miguel Falabella, junto do elenco da nova série da TV Globo "A vida alheia", que estreia na TV Globo no próximo dia 8 (Foto: Alex Carvalho/TV Globo) 

A conturbada relação entre jornalistas e celebridades vai ganhar um contorno irônico e, ao mesmo tempo, humano a partir do dia 8 de abril, quando estreia na TV Globo  "A Vida Alheia". Pelo menos é o que promete Miguel Falabella, autor da nova série dirigida por Cininha de Paula. "A história é basicamente sobre o mundo voraz, quase antropofágico, que é o trabalho desepenhado pela imprensa especializada em celebridades. Mas quis criar personagens humanos, sem heróis ou vilões", contou Falabella nesta quinta-feira (18), em entrevista coletiva realizada no Rio.

A série mostrará a rotina dos profissionais que trabalham na revista "Vida alheia", que ultrapassam todos os limites para conseguir uma boa notícia sobre o universo dos famosas. A atração terá 15 episódios, contando as confusões por trás de cada reportagem de capa.

Apesar de ser especialista em comédias para o teatro e a TV - atualmente ele está em cartaz com o musical 'A gaiola das loucas' - Falabella se apressou em explicar a viés da trama é bem diferente do extinto "Toma lá, dá cá".

“Desta vez não tenho o compromisso com a piada, estou brincando de outra coisa. Será um programa de aventura com diálogos irônicos, o que pode dar um tom mais leve à série", concluiu o autor.

No papel de Catarina, a rica herdeira da publicação voltada para as celebridades, a atriz Marília Pêra diz que passou a enxergar a profissão de uma outra maneira, graças ao ponto de vista que Falabella utilizou para contar a história.

"É muito bom estar deste lado, porque agora percebo o quanto é importante para a imprensa esse sentido investigativo. Acho que cada jornalista se imagina um Sherlock Holmes. Comecei a entender melhor essa posição por causa do texto do Miguel", revelou.

O elenco tem ainda Claudia Jimenez, Danielle Winits e Paulo Vilhena, entre outros.

Homenagem
Para Claudia Jimenez, que vive Alberta Peçanha, editora-chefe da revista "Vida alheia", a série é muito mais uma homenagem do que uma crítica aos jornalistas.

"Meu trabalho está sendo feito neste sentido. Porque vejo o que vocês passam: pegam chuva, são barrados na porta das festas etc. Quando o aniversário é meu, sempre mando um prato de salgadinhos. Mas, brincadeiras à parte, acho que trabalhamos juntos, é uma dobradinha de verdade", disse a atriz.

Danielle Winits, que frequentou uma redação de verdade para compor a repórter Manuela, acredita que a trama vai levantar boas questões. "Ela trabalha numa revista em que a ética e a moral não são muito respeitadas. Acho que essa discussão será interessante".
Compartilhe no Google Plus