Conheça o lado rico de Soweto


Carrões e belas casas revelam o 'outro lado' do famoso distrito. 
Bairro de Joanesburgo reúne residências de Nelson Mandela e Desmond Tutu.



Entrada da casa do arcebispo Desmond Tutu, vencedor do Prêmio Nobel da PazEntrada da casa do arcebispo Desmond Tutu,
vencedor do Prêmio Nobel da Paz (Foto: Rafael
Pirrho/GloboEsporte.com)
Soweto entrou no imaginário de muitos brasileiros como um lugar bem pobre. O distrito de Joanesburgo, famoso pela luta contra a segregação racial, mandou para o mundo imagens das privações pelas quais passavam os negros e com elas para sempre ficou colado. Mas Soweto não é apenas isso. Tem também muitos carrões e belas casas de negros que ascenderam socialmente com o fim do Apartheid mas preferiram seguir morando por lá.
Talvez seu ponto mais nobre seja a Rua Vilakazi, todos os dias cheia de turistas que vão visitar a antiga casa de Nelson Mandela, preservada e transformada em museu. Bem pertinho dali, a cerca de 200 metros, está a casa do arcebispo Desmond Tutu, também vencedor do Prêmio Nobel da Paz.
Jaguar estacionado em uma calçada em SowetoJaguar estacionado em uma calçada em Soweto (Foto: Rafael Pirrho/GloboEsporte.com)

"A Vilakazi é a rua mais cara de Soweto, os restaurantes e o pessoal que vende artesanato se aproveitam do movimento para lucrar. É muito mais barato comer em outros lugares do que aqui", explica Teboho, um adolescente de 16 anos que vive no distrito.
Soweto é abreviação para South West Township, que em português significa algo como "comunidade ao sudoeste" de Joanesburgo. Foi criado pelo governo do Apartheid para isolar os negros das áreas mais nobres da cidade. Mas hoje vários carros importados circulam por lá. O famoso distrito é composto essencialmente por casas simples, não miseráveis. Mas há áreas que fogem à regra, ou por serem muito mais pobres ou por serem privilegiadas.
Carrão estacionado em frente a uma boa casa de Soweto Carrão estacionado em frente a uma boa casa de Soweto (Foto: Rafael Pirrho/GloboEsporte.com)


Os dados populacionais são imprecisos, mas em Soweto há certamente mais de um milhão de moradores. Não trata-se de uma favela ou de um bairro, mas quase de uma cidade com pessoas, em geral, de classe-média baixa. A maioria vive sem grandes necessidades, mas com simplicidade. Mas tal como no restante da cidade e do país, há muita desigualdade social. Gente com quase nada e gente com muito dinheiro.
Compartilhe no Google Plus