Por uma Nova Política * Gleisi Hoffmann

"O preconceito é o filho da ignorância".  (William Hazlitt)



Renda da população negra cresce 222%

Um dado importante divulgado na semana passada mostra a importância do Governo Lula na luta pela igualdade racial. Segundo o Instituto de pesquisas Data Popular, a renda dos negros cresceu 222% nos últimos oito anos. 

As projeções de renda foram feitas com base nos dados da Pesquisa Nacional de Amostragem por Domicílios (Pnad), do IBGE em 2008, e  mostram que em 2010 os negros e afro descendentes devem encerrar o ano com uma renda de R$ 546 bilhões no bolso, o que equivalente a 40% do total previsto para todas as famílias brasileiras, independentemente da raça. Apesar dos salários ainda serem, aproximadamente, metade de um branco, os afro descendentes, que representam 51% da população brasileira, conseguiram ser responsáveis por R$ 4 de cada R$10 consumidos no País.
 
PAC 2: novos desafios

Na semana passada foi realizada a 1ª Teleconferência do PAC 2, dirigida aos prefeitos e prefeitas de regiões metropolitanas, capitais e de cidades com mais de 100 mil habitantes, além dos governos estaduais, que se reuniram em Brasília e nas 78 superintendências da CEF em todo o Brasil,  para receber instruções sobre projetos da segunda fase do PAC. 

A reunião discorreu sobre apresentação de projetos de saneamento, habitação, contenção de enchentes, drenagem, pavimentação, creches, unidades de saúde, praças de cidadania. As prefeituras devem enviar as propostas no período de 17 de maio até 11 de junho. 

A divulgação dos projetos selecionados será no dia 30 de setembro. A contratação poderá ocorrer ainda em 2010, mas os contratos serão assinados somente após a apr ovação dos projetos básicos. No dia 17 de maio haverá mais uma reunião, dirigida aos municípios com população entre 50 a 100 mil habitantes. Até o final de maio serão reunidos também os municípios com menos de 50 mil habitantes.
 
Inaugurada usina de biocombustível em Marialva

Foi inaugurada, na última sexta-feira (14), a primeira usina de biocombustível da Petrobrás no Sul do País. A cidade escolhida para receber a obra foi Marialva, no Noroeste do Paraná, por estar em um ponto estratégico para o transporte dos combustíveis, entre os estados do Paraná e São Paulo. 

A BSBios Marialva, custou R$100 milhões, levou 150 dias para ser construída e terá capacidade de produzir 127 milhões de litros de combustível por ano, o equivalente a 60% da demanda do Estado. A usina será administrada pela Petrobrás e pela empresa gaúcha BSBIOS, sendo 50% de cada parte. 

Além de gerar 120 empregos diretos, a empresa se comprometeu a comprar 30% das oleaginosas dos agricultores da região. Uma importante conquista para o Estado. Este empreendimento trará muitos benefícios p ara a região e deverá ser referência ao Brasil.

Gleisi Hoffmann é advogada e integra o Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores. Conheça o site: www.gleisi.com.br. Contato: contato@gleisi.com.br


Compartilhe no Google Plus